Erupção do Tavurvur


Situado na localidade de Kokopo, Papua-Nova Guiné, o Monte Tavurvur entrou novamente em erupção na sexta-feira, 29 de agosto. Porém, foi em 1994 que ocorreu seu mais potente evento vulcânico, chegando a devastar a cidade de Rabaul, na Ilha de Nova Bretanha.

Monte Tavurvur entra de novo em erupção

Monte Tavurvur entra de novo em erupção

Papua-Nova Guiné situa-se na Oceania, no chamado Círculo de Fogo do Pacífico, em decorrência de seus vários vulcões ativos e extintos. Por possuir um território pequeno (452.860 km² de área terrestre) e ser formada por ilhas e arquipélagos, com relevo raso, onde predominam planícies costeiras, é bem vulnerável a terremotos, vulcanismos e tsunamis. Por sinal, são eventos ambientais geologicamente próprios daquela região.

No caso da erupção recente do Monte Tavurvur, há o vídeo feito por um turista norte-americano, que captou o momento exato da eclosão do Monte. Aliás, ele avisa aos presentes no barco de onde filmava que os ruídos do vulcão os atingirá com elevada intensidade.

Sete dias antes desta erupção (23 de agosto), o Bardarbunga, maior e mais perigoso vulcão da Islândia, teve uma erupção sob a camada de gelo (subglacial), após a ocorrência de vários sismos de média intensidade.

A Islândia possui um dos melhores sistemas de pronta-resposta a eventos desta natureza. Visam a salvar pessoas, animais domésticos e gado que habitam nas imediações das caldeiras de lava. No caso do Bardarbunga havia o risco do degelo acelerado de glaciares e o consequente derrame de elevado volume de água drenada nas suas encostas. Pode provocar fortes inundações e até mesmo tsunamis. Nesses caso é comum a destruição de estradas e pontes, que deixam as comunidades sem acesso aos víveres básicos.

Imagem do Bardarbunga em erupção

Imagem do Bardarbunga em erupção

De toda maneira, dentro do possível, desejamos melhor sorte a papuanos e islandeses. Isso não é um consolo, mas caso dependessem de planos de resposta formulados por autoridades brasileiras (políticas) já seriam povos extintos.