Nova espécie de criatura


O renomado e notável cientista internacional Josephus Collorus Renanis Sarnaeus acaba de identificar uma nova espécie de hominídeo, que acredita ser descendente direto do Australopitecos. Os primeiros espécimes dessa criatura foram encontrados no Brasil, nos estados do Maranhão e de Alagoas.

Imagens da nova espécie

Imagens da nova espécie

Características gerais

Os indivíduos desta espécie são bípedes, com altura variando entre 1,50 e 1,60 metro, aparentemente similares ao Homo sapiens. Mas, foram classificados pelo taxidermista como Homo semi-erectus imprestabilis. O Instituto Sarnaeus já possui mais de uma dúzia dessas criaturas empalhadas em seu laboratório particular.

Nota: considera-se esta classificação incorreta, dado que o gênero Homo desenvolveu-se por se afastar geneticamente do Australopitecos e não por constituir a sua continuidade.

Origem e comportamento

Surgiram através da involução natural do australopitecos, embora no mesmo ambiente do Homo Sapiens. Apresentam postura encurvada constante, fala incompreensível (grunhidos), mastigam chicletes de forma contínua, e fazem audição pública permanente de músicas de mau gosto, sempre em volume quase letal.

Realizam movimentos espasmódicos e aleatórios com os membros anteriores. Segundo recentes pesquisas da equipe de pesquisadores de Sarnaeus, essas características da criatura acarretaram o surgimento de membros posteriores mais curtos e um estranho modo de caminhar, sempre os mantendo abertos e arrastando as patas ao locomover-se.

Comprovaram que esta marcha peculiar, que denominaram “arrasta-forquilha“, reduz gravemente as funções cerebrais deste gênero de criatura. Por isso, nunca deve ser esperado delas qualquer contato direto através do olhar ou comunicação verbal inteligente.

Capacidade de integração social

Com a monitoração de uma amostra científica desses indivíduos, durante mais de uma década, Sarnaeus concluiu que a maioria deles recebe, direta ou indiretamente, cesta-básica, vale-transporte, vale-refeição, bolsa-família, bolsa-escola, salário-desemprego e toda espécie de ajuda do governo.

Normalmente não são agressivos, salvo quando se encontram em bares e festas.

Reprodução e habitat

Os semi-erectus imprestabilis são extremamente férteis e reproduzem-se na mesma velocidade dos pequenos roedores. Além disso, admitem conviver em áreas urbanas e é normal vê-los no interior de carros antigos, enferrujados e sem qualquer valor, mas com equipamentos sonoros caríssimos para reprodução de raps, axé, punk e “pancadão”, capazes de estourar os tímpanos de quaisquer outras espécies da biota, sejam terrestres ou aquáticas.