Para Enaldo Cravo Peixoto


No meio deste ano, por volta do mês de junho, participamos de um concurso nacional para a produção de um livro histórico, acerca de uma pessoa de notória importância para a cultura brasileira.

Todavia, não ficamos entre os dez primeiros classificados. Mas isso não nos trouxe amargura. Fez-nos recordar de nosso passado quando, ainda jovens profissionais, tivemos a grata oportunidade de trabalhar, lado a lado, com uma figura ímpar da engenharia sanitária brasileira.

Nosso projeto era produzir um livro analítico e documentado com o título A História Pública do Engenheiro Enaldo Cravo Peixoto – A Engenharia a Serviço do Cidadão”.

Assim descrevemos o projeto

“O livro, de cunho histórico, propõe-se a apresentar o pioneirismo e as realizações do Engenheiro Civil e Sanitarista Enaldo Cravo Peixoto na área do saneamento básico brasileiro, bem como em outras áreas, envolvendo sistema viário, saúde e educação. Considerará Enaldo desde a sua origem, no município de Penedo, Alagoas, até os momentos finais de sua vida, na cidade do Rio de Janeiro, onde, dentre outros (1947 a 1966), ocupou o cargo de Secretário de Viação e Obras do antigo Estado da Guanabara, no governo de Carlos Frederico Werneck de Lacerda.”

Governador Carlos Lacerda

“O documento a ser produzido demonstrará as participações diretas de Enaldo na fundação de instituições dedicadas ao saneamento básico, como fundador e primeiro presidente da ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária, bem como um dos sócios fundadores da AIDIS – Asociación Interamericana de Ingeniería Sanitaria, tendo sido presidente de sua seção brasileira, entre 1959 e 1966. Destaca-se que estas duas entidades são de cunho técnico e científico, produzindo livros e realizando congressos nacionais e internacionais que impulsionam os serviços e a indústria do saneamento básico na América Latina.”

“Enaldo também criou e/ou presidiu vários órgãos públicos que se tornaram hoje na Cedae – Companhia Estadual de Águas e Esgotos e no Inea – Instituto Estadual do Ambiente. Dentre eles destacam-se: a Copes – Comissão de Planejamento de Esgotos Sanitários; o IES – Instituto de Engenharia Sanitária; e a Sursan – Superintendência de Urbanização e Saneamento, os quais foram importantes órgãos promotores da pesquisa, da educação e do desenvolvimento do saneamento brasileiro, inclusive motivando a criação do Planasa – Plano Nacional de Saneamento, então sob a gestão do extinto BNH – Banco Nacional de Habitação.”

“O Engenheiro Peixoto foi altamente reconhecido também através da empresa de projetos que criou em 1966 – o ECP – Escritório Técnico Enaldo Cravo Peixoto – onde administrou engenheiros consagrados da engenharia civil e sanitária, muitos dos quais se tornaram também notórios especialistas e detentores de importantes cargos públicos, tanto no Estado da Bahia (Secretario Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos), como no do Rio de Janeiro (presidentes, vice-presidentes e diretores técnicos das empresas públicas Esag – Empresa de Saneamento da Guanabara e Comlurb – Companhia Municipal de Limpeza Urbana).”

Assim justificamos o projeto

“A justificativa do presente projeto encontra-se na conjugação e convergência de diversos aspectos de humanidade depositados na pessoa de Enaldo Cravo Peixoto. Com elevada capacidade de liderança e disciplina, dotado de grande visão estratégica da gestão pública de um sítio (estado ou município), Enaldo possuía elevado humor e alegria no tratamento com seus funcionários, sempre transformando sua área de trabalho em uma verdadeira família, fortemente unida. Os resultados desta forma de ser, inequivocamente imprevisível, podem ser demonstrados de forma cabal, tanto no setor público, quanto no privado.”

– No Setor Público

“Como Secretário de Obras do Estado da Guanabara comandou projetos e obras para diversos equipamentos públicos:”

  • A nova adutora do Guandu;
  • O Parque do Flamengo;
  • 21 (vinte e um) novos viadutos;
  • O Plano Diretor do Sistema de Esgotos Sanitários;
  • A construção de cerca de 700 km da Rede de Esgotos Sanitários;
  • A construção de outros tantos quilômetros da Rede de Abastecimento d’Água;
  • O Projeto e execução dos sete quilômetros iniciais do Interceptor Oceânico da Zona Sul;
  • O Túnel Rebouças;
  • O Túnel Major Vaz;
  • A conclusão do Túnel Santa Bárbara, o Catumbi-Laranjeiras;
  • O aterro e a ampliação da região da Marina da Glória;
  • O aterro e a ampliação da praia do Flamengo;
  • O aterro e a ampliação da praia de Botafogo;
  • O aterro e a duplicação da praia de Copacabana;
  • O Parque Ari Barroso;
  • A retificação, alargamento e novo traçado do Rio Berquó, em Botafogo;
  • A retificação, alargamento e novo traçado do Rio Papa-Couve, no Catumbi;
  • A Avenida das Américas;
  • O prolongamento da Avenida Brasil;
  • A instalação de 18 (dezoito) chafarizes em vários pontos da cidade;
  • A nova via de tráfego ligando a Praia de Botafogo à rua Humaitá;
  • A ampliação e modernização da elevatória de esgotos Saturnino de Brito;
  • A elevatória de esgotos André Azevedo;
  • A galeria geral de esgotos de Ipanema e Leblon;
  • A galeria geral de esgotos da Avenida Bartolomeu Mitre;
  • A ampliação e modernização da elevatória de esgotos da Rua Santa Clara;
  • A ampliação da estação de tratamento de esgotos da Penha;
  • A nova estação de recalque da elevatória subterrânea da Hípica;
  • Os estudos e pesquisas do projeto do emissário submarino em Ipanema; e
  • A Avenida Novo Rio, ligando a Avenida Brasil a Avenida dos Democráticos.”

Parque do Flamengo, região da Marina da Glória

“Decerto, há muitos outros estudos, projetos e obras que não constam desta lista.”

– No Setor privado

“Como Diretor Presidente de sua empresa de projetos de engenharia (civil e sanitária) Enaldo desde logo mudou sua estratégia de ação. O ECP, em seu auge técnico, atingiu a cerca de sessenta funcionários. Dr. Peixoto, como era chamado pelos engenheiros em geral (havia um árabe, fornecedor de serviços elétricos, que o chamava de Dr. Baxuta), logo percebeu que haveria de mudar a postura que o conduzira àquele momento. Afinal, não era mais o ator público contratante, mas apenas um dos atores privados do setor, passível de ser contratado ou não através de licitações públicas.”

“E foi com galhardia, nobreza e muito trabalho que coordenou a realização dos primeiros projetos. Dentre os trabalhos realizados pelo escritório técnico, merecem destaque os seguintes:”

  • “Sistemas de Esgoto Sanitários em Salvador e Centro Industrial de Aratu;
  • Sistema de Esgotos Sanitários em Ilhéus e Vitória da Conquista;
  • Sistema de Abastecimento de Água em Feira de Santana;
  • Sistema de Águas Pluviais, de Esgotos Sanitários e de Telefones no Centro Administrativo da Bahia;
  • Sistema de Dispersão Submarina em Fortaleza;
  • Sistemas de Esgoto Sanitários em Juazeiro do Norte;
  • Sistema de Abastecimento de Água e Esgoto Sanitário em Vitória, Vila Velha e Cariacica;
  • Sistemas de Abastecimento de Água e Esgoto Sanitário em várias cidades de Minas Gerais;
  • Sistemas de Esgoto Sanitários em Niterói e São Gonçalo;
  • Sistema Interceptor de Esgotos de Niterói;
  • Sistemas de Abastecimento de Água em Niterói e São Gonçalo;
  • Emissário Oceânico de Niterói;
  • Sistemas de Abastecimento de Água em Nova Iguaçu, São João de Meriti, Nilópolis e Duque de Caxias;
  • Sistema de Adução do Rio das Velhas, em Belo Horizonte;
  • Sistema de Abastecimento e da Rede de Distribuição de Água em Londrina;
  • Sistema de Limpeza Urbana em Belo Horizonte;
  • Sistema de Adução de Água Bruta na Refinaria Duque de Caxias;
  • Sistema de Abastecimento de Água na Grande São Paulo;
  • Sistema de Esgotos Sanitários do Aterro da Praia Grande em Niterói; e
  • Sistema Integrado de Abastecimento de Água na Região dos Lagos Fluminenses.”

Objetivos do projeto

“Para muitos, o nome Enaldo Cravo Peixoto representa uma bandeira memorial da engenharia de projetos e obras bem sucedidos realizadas no Brasil. Alguns estudantes universitários até hoje o citam apenas como referência de obras específicas, em monografias e teses. Não se debruçam sobre mais detalhes das obras e da conjuntura em que foram realizadas. Não tratam do conjunto de todas as obras que Enaldo realizou para a qualidade de vida no Rio e em outras cidades do Brasil.”

“Enaldo, nas décadas de 1950 e 1960, revolucionou a qualidade da gestão pública do Rio, criou e cristalizou o então chamado Novo Rio, tornando-o capaz de responder aos anseios e expectativas de seus cidadãos até o ano 2.000.”

“Auxiliou de forma expressiva na formação de uma geração de profissionais capazes de pensar no curto, médio e longo prazo. Não apenas de engenheiros, mas de todas as profissões que, de alguma forma, observaram ou participaram de suas atitudes e decisões. Mas, os que restam dessa geração, estão atingindo seu tempo de vida útil. Portanto, há que renova-la, há que multiplica-la.”

“Esta proposta de projeto visa a permitir, manter e ampliar a permanência desta figura ímpar e imprescindível na educação e cultura dos novos profissionais brasileiros; alguns serão futuros homens públicos, como Enaldo. E isto será realizado com melhores resultados através do apoio e auxílio da Organização que promove este concurso, fornecendo mais mérito e valor ao projeto.”

“Enfim, este projeto pretende ser uma relevante motivação para a formação de novas gerações de profissionais competentes, empreendedores e multiplicadores de suas práticas, além do fato de que Enaldo Cravo Peixoto deve ficar na memória cultural do país, e não apenas ter seu nome em uma rua do bairro da Tijuca e um túnel da Linha Amarela.”

“O livro pretendido há de ser maior do que Prêmios, Distinções e Medalhas que o Engenheiro recebeu ao longo de sua vida. Deverá ser um atiçador permanente para a Engenharia a Serviço do Cidadão.”

“O produto final será o texto completo e revisado do livro, acompanhado de todas as suas imagens, fotografias, desenhos de bico de pena de artistas e outras obras que poderemos recuperar, inclusive documentos pessoais de Enaldo.”

Bem, o que dizer?…

Em primeiro lugar parabenizamos ao vencedor do concurso, com a certeza de que seu trabalho de pesquisa produzirá mais um excelente livro histórico a ser distribuído pela Organização promotora.

Em segundo, ficamos pensando e refletindo em como haveremos de contar esta grande História de civilidade e gestão pública.

2 pensamentos sobre “Para Enaldo Cravo Peixoto

  1. Gostaríamos de conhecer o projeto e o orçamento para sua realização. Lotta Macedo Soares falava muito bem do trabalho e dinamismo do “Peixoto” a frente da Sursan e no apoio como conselheiro na Fundação Parque do Flamengo.

    Curtir

    • Prezado Fernando Nascimento,

      Recebo com grande satisfação o desejo do Instituto Lotta em conhecer o Projeto Enaldo Cravo Peixoto, com o qual participamos em um concurso do Grupo Odebrecht. A finalidade era produzir um “livro histórico” que fosse capaz de representar a cultura brasileira.

      Devo dizer que tive estreitos laços de família e profissionais com o “Engenheiro Peixoto”, após sua saída do setor público.

      Peço-lhe que me de dois dias para encaminhar nossa resposta sobre o livro, a que demos o título de “A história pública do engenheiro Enaldo Cravo Peixoto – A Engenharia a serviço do Cidadão“. Contudo, no blog Sobre o Ambiente (http//:rrupta.wordpress.com) encontra-se a descrição e motivação do projeto.

      Saudações,

      Ricardo Kohn de Macedo

      Curtir

Aguarde nossa resposta...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s