O conceito da Assinatura Ambiental


Após a realização do processo de avaliação da sustentabilidade de um território ocupado e afetado por organizações produtivas é possível identificar, aferir e analisar os efeitos físicos, bióticos e antropogênicos que a operação das mesmas deixou no ambiente de sua área de influência, resultantes das alterações proporcionadas e dos fenômenos ambientais delas derivados.

Para cada natureza de atividade produtiva é possível associar um conjunto de efeitos ambientais mais ou menos específico, ou seja, sua assinatura ambiental. Por exemplo:

  • As empresas de mineração possuem efeitos visíveis específicos, no ar e no solo.
  • As empresas de siderurgia e metalurgia também podem ser identificadas através de seus efeitos no ar e no solo.
  • Empresas de exploração de óleo & gás são caracterizadas por suas assinaturas ambientais[1] no ar, no solo e na água.

Esta sequencia de exemplos pode ser longa, pois empresas agrícolas, empresas de exploração de madeira, empresas de vestuário e acessórios, de papel e celulose, de reciclagem, todas possuem suas respectivas assinaturas ambientais visíveis. Ao vermos uma imagem da área de produção de qualquer dessas empresas muitas vezes somos capazes de identificar que atividade produtiva encontra-se instalada.

Observe a foto a seguir e tente descobrir qual atividade esta empresa realiza.

Baku, Azerbaijão – foto cedida pelo Prof. Erich Gundlach

Podemos afirmar que quanto mais ameaçadora é a atividade produtiva realizada e quanto mais frágil for sua ferramenta de gestão, maiores serão os riscos da assinatura ambiental da organização ser danosa e transformar-se em graves passivos ambientais.

Acidentes também possuem assinatura ambiental. O acidente com o petroleiro Exxon Valdez no Golfo do Alaska, ocorrido em março de 1989, deixou uma gigantesca assinatura ambiental em uma vasta região, envolvendo muitos quilômetros da costa e praias do Alaska. Hoje, 20 anos depois de sua ocorrência, graças às atividades de remediação dos efeitos do desastre, sua assinatura ambiental ainda existe em áreas de solo arenoso, embora esteja bastante reduzida. Os ecossistemas afetados levarão muito tempo para retornarem a estados similares aos primitivos. Em síntese, podemos afirmar que o tamanho da assinatura ambiental de qualquer organização está diretamente associado ao PCA por ela aplicado. Quanto melhor for desenvolvido e gerenciado o plano, menores serão suas chances de “assinar o ambiente”, melhor será sua imagem corporativa e as inevitáveis reações dos mercados que consomem seus produtos. Veja a imagem do acidente com o petroleiro Exxon Valdez no Golfo do Alaska. Sua assinatura é nítida, típica e óbvia.

Imagem do derramamento de óleo do Exxon Valdez

A propósito, pense e analise as assinaturas dos últimos acidentes de grandes petroleiras mundiais. Comece pelo acidente da plataforma da British Petroleum, no Golfo do México. A British Petroleum possui e aplica um Plano Corporativo Ambiental?


[1] Não confundir a Assinatura Ambiental de uma organização com o conceito de Pegada Ecológica, criado por Mathis Wackernagel e William Rees, descrito no livro Our Ecological Footprint, 1998.

Aguarde nossa resposta...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s